II Encontro Executando a Estratégia debateu aprimoramento da atuação da Justiça Federal

O Conselho da Justiça Federal (CJF) promoveu, no último ano, o II Encontro Executando a Estratégia da Justiça Federal. O evento, realizado nos dias 13 e 14 de novembro, em Brasília, avaliou o andamento dos projetos estratégicos, alternativas para limitações orçamentárias, desafios da gestão, distribuição da força de trabalho, além de critérios para o módulo de produtividade e o Sistema de Mapeamento da Justiça Federal (Sismapa). Foram dois dias de trabalho, com oficinas temáticas, envolvendo integrantes dos Tribunais Regionais Federais e de outras organizações que atuam junto à Justiça Federal, como o INSS, a Secretaria da Previdência e a Advocacia-Geral da União.

Na plenária, conduzida pela presidente do CJF, ministra Laurita Vaz, com a presença do vice-presidente, ministro Humberto Martins, foi feito um balanço das discussões e foram apresentados os resultados dos cumprimentos das metas pelos TRFs. Referindo-se ao planejamento estratégico de 2017, a ministra informou que, das oito metas estabelecidas para a Justiça Federal, seis tiveram resultados superiores a 2016. Como exemplo da busca por melhorias, a presidente do CJF citou a implantação do modelo de governança na Justiça Federal, inédito no Judiciário, que delineou 55 práticas voltadas à melhoria de gestão dos processos de trabalho e dos recursos humanos, financeiros e tecnológicos.

Para o corregedor-geral da Justiça Federal, ministro Raul Araújo, as discussões promovidas no encontro foram essenciais para que os objetivos estratégicos sejam alcançados. “Tão importante quanto a execução é a reflexão sobre os passos já dados e vindouros, a fim de que nos guiemos e nos reorientemos não pelo caminho mais fácil, mas sempre na direção dos interesses da nossa sociedade”, ressaltou o magistrado, que divulgou os resultados globais de 2017 da Justiça Federal. Os presidentes dos TRFs também apresentaram o andamento do planejamento estratégico, revelaram os principais desafios de cada órgão e apresentaram sugestões.

O II Encontro Executando a Estratégia da Justiça Federal também teve a participação de corregedores dos TRFs; coordenadores dos Juizados Especiais Federais (JEFs); diretores de Foro; assessores; gestores de projetos estratégicos; além de representantes do INSS, da Previdência Social e da Defensoria Pública.

Premiação

No encerramento do encontro, foram divulgados e premiados com certificado os órgãos que mais se destacaram na consecução do planejamento estratégico em 2017. Os agraciados foram divididos em categorias. Confira:

TRF 1ª Região: Prêmio Conciliação, pelo melhor desempenho entre as cinco regiões no ano, com mais de 64 mil conciliações realizadas até outubro.

Seção Judiciária de Roraima: Prêmio Governança Judiciária – Categoria Seção Judiciária, por ter obtido o melhor desempenho, entre as Seções, em gestão judiciária, nas dimensões: Planejamento estratégico; Gestão de processos de trabalho, de recursos financeiros e de tecnologia da informação; Monitoramento do Desempenho Organizacional; e Comunicação Institucional e Transparência, com índice IGov-JF de 74,3%.

TRF 3ª Região: Prêmio Governança Judiciária – Categoria Tribunal, por ter obtido o melhor desempenho entre todos os órgãos da Justiça Federal, em gestão judiciária, nas dimensões: Planejamento estratégico; Gestão de processos de trabalho, de recursos financeiros e de tecnologia da informação; Monitoramento do Desempenho Organizacional; e Comunicação Institucional e Transparência, com índice IGov-JF de 76,9%.

Seção Judiciária de Santa Catarina: Prêmio Produtividade – Jurisdição Comum, por ter sido a mais produtiva dos últimos 12 meses, na categoria “Jurisdição Comum”, com 1.749 processos solucionados, em média, por magistrado.

Seção Judiciária de Alagoas: Prêmio Produtividade – Juizado Especial Federal, por ter sido a mais produtiva dos últimos 12 meses, na categoria “Juizado Especial”, com 7.514 processos solucionados, em média, por magistrado.

TRF 4ª Região: Atendimento à Demanda Judicial – Jurisdição Comum, por ter obtido o melhor Índice de Atendimento à Demanda Judicial no ano de 2017, na categoria Jurisdição Comum, com solução de 86% dos casos novos do ano.

TRF 2ª Região: Atendimento à Demanda Judicial – Juizado Especial Federal, por ter obtido o melhor Índice de Atendimento à Demanda Judicial no ano de 2017, na categoria Juizado Especial, com solução de 103% dos casos novos do ano.

 

Fonte: CJF

 

<< Voltar